terça-feira, 14 de outubro de 2008

Nothing but words... part II

no mais leve dos toques dos teus dedos
em qualquer parte aparente do meu corpo

no mais doravante pensamento
que acomete meu sono

na mais singela palavra
que descreves a sensação narcótica de quando estamos juntos

na mais insana sede
de ser tua sem ninguém por perto

mora a intransponível clareza amedrontadora
da possibilidade de estar verdadeiramente
mais que te estimando como um simples ser