domingo, 9 de agosto de 2009

Nothing but words...

andrômeda de suores encharcados,
te rever foi tão dolorido,
mas uma dor dócil da nostalgia austera, jubilosa, cheia de frescor.
quem me dera ter outra chance de ficar a sós contigo e comigo,
sem intervenções, sem rancores e pudores.
quem me dera deitar meu corpo ao lado do teu e tirar proveito só mais uma vez do prazer imensurável que me proporcionavas.
me recuso a te deixar estagnado pra sempre no passado.
hoje sei que amei e continuo amando. mas, até quando?


Andromeda - Auguste Rodin