sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Pausa porque hoje é sexta, dia de maldade


Hoje é dia de cheirar muito livro novo.  Misturar prosa e poesia. Passar trote pro Nobel dizendo que é o Bob. Dá spoiler da história pro amigo. Ignorar a nova ortografia e colocar trema em conseqüencia., pingüim e tranqüilo. Perguntar pro atendente se tem aquele livro de capa verde.

É dia de tatuar “tu te tornas eternamente responsável por tudo o que cativas” no braço, de ir no lançamento do livro do Youtuber e gritar que é golpe, de elogiar o texto do colega pra não perder a amizade, de criar pseudônimo, de arrumar a estante em ordem alfabética. De discutir se a Capitu traiu Bentinho ou se o filme é melhor que o livro. Ligar pra editora e perguntar se já leram o manuscrito.

Hoje é dia de ir pra balada com a camiseta do Bukowski porque a do Baudelaire está pra lavar. Confundir Derrida com Deleuze. Tentar usar a máquina de escrever pra ser diferente. Acender um charuto e sentir saudade do cheiro do mimeógrafo. De encher aquele texto com adjetivo, esperar Godot e dizer que sua profissão é escritor.

Hoje é dia de maldade.